Futhistória: Danilo, eterno goleiro da Chapecoense

Por: Maria Giovanna Carvalho

O futebol é marcado por grandes histórias, alegrias, tristezas e momentos marcantes que são místicos na vida de cada torcedor ou amante do esporte. São essas recordações que fazem os olhos se encherem de lágrimas e nos convida a relembrar fases épicas de bons sorrisos, abraços, comemorações e títulos que não voltam, mas ficam nos livros da vida. O esporte tem essa arte de ir além, de levar a alegria em meio a dor, de fazer renascer o que era “impossível” e sustentar as lembranças de boas experiências. Isso compreende no fato de que não é apenas com uma bola em campo que se faz gol, mas na conquista de um novo recomeço de vida.

Marcos Danilo Padilla, mais conhecido como Danilo, nasceu em Jussara – Paraná, na qual viveu e aprendeu em sua terra natal a amar o futebol. Descobriu o seu dom de ser especificamente goleiro nas partidas que jogava no campinho perto de casa, onde cresceu quando criança. Tinha reflexos rápidos que era admirado por tantos ao seu redor.

No Paraná, Danilo jogou em diversos times, dentre eles: Cianorte (2003 – 2005), Engenheiro Beltrão (2006), Cianorte (2006-2007), Nacional (2008), Paranavaí (2009), Operário Ferroviário (2009 – 2010), Arapongas (2010 – 2011), Londrina (2011 -2013) e Chapecoense (2013 – 2016).

Foto: ESPN


Danilo foi o nome mais falado na temporada de 2016, através de suas boas atuações pelo clube Catarinense. Seu nome chegou a ser cogitado em diversos times brasileiros, dentre eles o São Paulo. Foi dele, inclusive, a defesa inédita, com sua maior habilidade, que garantiu o time Chapecoense na final da Copa Sul Americana. Ninguém imaginava que aquele momento emocionante seria o último toque do goleiro e ali ele encerraria a sua brilhante carreira aos 31 anos.

No dia 29 de novembro de 2016 o mundo ficou em choque, o esporte que sempre traz alegria teve o seu momento de luto ao divulgar a notícia de que o avião da Chapecoense tinha caído a poucos quilômetros de Medellín, cidade Colombiana na qual faria o pouso. O avião da LaMia transportava os jogadores, delegação e a imprensa, dentre eles, o responsável pela grande conquista do clube para a mais esperada final da Sul Americana, o goleiro Danilo. Sua história foi interrompida por essa tragédia que ainda hoje provoca marcas no esporte brasileiro, mas traz um orgulho aos torcedores e amantes do futebol, pois era o primeiro clube Catarinense a disputar uma final internacional.

Grandes recordações são feitas para as vítimas do acidente, dentre eles uma longa-metragem que está sendo preparada para ser divulgada. O filme contará toda a trajetória do goleiro, desde a infância do garoto humilde até o início de sua carreira como atleta profissional, ressaltando belos momentos de sua carreira e a fatalidade do acidente aéreo junto com seus companheiros de equipe.

Do sonho de uma conquista esportiva para o pesadelo inimaginável. Essa é uma história que ficará marcada nos livros esportivos, mas recordando sempre os bons momentos de atletas que foram guerreiros até o fim. Somos Chape!








0 Comentários