FUTHISTORIA: Conheça a trajetória de Gabriel Jesus


        Reprodução: Carl Recine/Reuters   

Por: Mariane Ferreira
FutebolNews  

Camisa 33 do Manchester City e com passagem pela seleção Brasileira, Gabriel Jesus tem apenas 21 anos, mas já conta com uma enorme bagagem no futebol.

Quem vê o menino sorridente, fazendo gols e brilhando pelo City não imagina quão longa foi a estrada para chegar onde está. O amor pelo futebol começou na infância. Aos 8 anos o garotinho apareceu no campo do presídio militar Romão Gomes, no bairro de Tremembé na zona norte de São Paulo, pedindo pra jogar pelo Pequeninos do Meio ambiente. Desde o primeiro treino José Francisco Mamede, seu primeiro treinador percebeu que o menino tinha muito talento.

A vida de Gabriel começou a mudar em 2012, quando começou a jogar pelo Anhanguera, um time amador de dois empresários. Só foi preciso oito meses só até participar de um amistoso contra o Palmeiras. Lá foi observado por olheiros e convidado para fazer um teste no CT de Guarulhos e com apelas 12 anos começou a treinar lá.

Durante seu período na base do Palmeiras, Gabriel impressionou ao marcar 37 gols em 22 jogos no Paulistão sub-17 em 2014. No ano seguinte repetiu o feito e foi muito bem na Copa São Paulo, fazendo cinco gols em seis jogos, quando despertou o interesse de Oswaldo de Oliveira.

A estreia no time profissional aconteceu contra o Bragantino, no Paulistão de 2015. Com muita expectativa da torcida Gabriel Jesus correspondeu e conseguiu a titularidade do time e desbancou jogadores mais experientes. No final daquele ano conquistou a taça da Copa do Brasil. No ano seguinte viu sua carreira se consagrar mais ainda, junto com a maioridade conquistou a medalha de ouro nos jogos olímpicos do Rio em 2016.

Nesse mesmo ano de 2016 foi vendido para o Manchester City, mas o time da Inglaterra só pode contar com o a nova contratação após o fim do Brasileirão daquele ano.
De sua transferência para o Manchester City até os dias atuais a carreira do Gabriel passou por altos e baixos.

As boas atuações pelo City fizeram o menino Gabriel ser convocado para defender a seleção brasileira em amistosos e rendeu também convocação para a copa de 2018. Surpreendeu bastante nos amistosos pré-copa o que lhe rendeu a titularidade na copa de 2018.

Apesar da expectativa de brilhar com a camisa 9 da seleção, deixou a desejar e teve atuação muito apagada durante a copa da Rússia o que gerou muitas críticas por parte dos torcedores e também por parte da mídia.

Já em 2019 Gabriel vem recuperando o bom futebol e atuando muito bem pelo City e é uma grande esperança para o ataque na copa de 2022.

0 Comentários