O que esperar do Flamengo na temporada 2019

A equipe Rubro Negra convive com forte pressão da torcida por título de expressão. Imagem: odia.ig.com.br
Por Rodrygo Nascimento
FutebolNews

Um dos melhores times do Brasil, o Flamengo segue apresentando algumas questões técnicas que assolam a Gávea. O futebol apresentado dentro de campo tem desagradado boa parte da torcida, entretanto, precisando de resultados satisfatórios, o técnico Abel Braga se apega ao seu pragmatismo para alcançar bons resultados.

Ao assumir o clube, a nova diretoria já estava ciente que sofreria pressões internas e externas, sobre conquistas de títulos e mudança na postura da equipe dentro das competições. Alto investimento foi feito, tanto na comissão técnica quanto em atletas para o futebol. Rodrigo Caio, Gabriel Barbosa, Bruno Henrique e Arrascaeta somados aos jogadores que lá estavam colocaram o clube Rubro Negro em outro patamar. O primeiro turno do Campeonato Carioca foi, um tanto, decepcionante por conta da eliminação para o Fluminense na semifinal. Conseguiu conquistar o segundo turno, a Taça Rio, porém, o futebol apresentado dentro de campo ainda não convenceu. A falta de repertório apresentado até o momento é preocupante, excesso em jogadas com ligação direta ou arremessos aleatórios de lateral para a grande área são pontos negativos desse inicio. A insistência em jogadores que destoam tecnicamente da equipe titular também tem sido algo corriqueiro. 

Tendo em vista o nível de outras equipes em âmbito nacional como: Cruzeiro, Palmeiras e Grêmio. O que esperar do Flamengo na temporada? É notório que uma mudança é preciso ser feita, mas por onde começar? Um dos equívocos da atual gestão começa pela vinda do treinador Abel Braga. Conhecido por montar equipes mais reativas, é contemporizado por sempre colocar times no eixo com um domínio no vestiário, boa convivência com os jogadores medalhões em seus elencos é um dos seus pontos positivos, entretanto não é  bastante. Por mais que seja um vencedor , seu perfil não condiz com os jogadores que tem em mãos no momento. Mais familiarizado por ter equipes mais pragmáticas/reativas esteja, de uma certa forma, podando o real potencial dos seus atletas. Leia-se Arrascaeta e Bruno Henrique que ainda podem render muito mais. 

Outro equívoco da gestão é a renovação em jogadores que simbolizaram o fracasso ao longes destes anos, leia-se: Arão, Pará, Rodnei e Diego. São posições excrescenciais dentro do futebol hoje. Começando pelos dois laterais que já provaram que não tem futebol para conseguir representar o clube da magnitude que é. Não dominam nenhum tipo de fundamento simples do futebol, extremamente fracos e se quer competir com qualquer time de alto nível e não se assustar com equipes mais fracas era preciso um olhar mais atento para posição que incomoda há no mínimo 3 anos. Os meio-campistas Arão e Diego nunca conseguiram alcançar qualquer tipo de regularidade ou até mesmo papel fundamental na equipe,  ao ponto de ser unanimidade ou apontados como melhores do país nas posições. Um bom volante e um meio-armador, suas posições respectivamente, são de extrema importância na partida, jogadores que decidem na zona de guerra. 

Sem sombra de dúvidas o elenco do Flamengo é muito qualificado, porém, se contentar com título de Taça Rio ou somente o Campeonato Carioca é uma mera formalidade para a equipe que tem. Se pensa em alçar voos maiores é preciso ajustes e estes ajustes passam pelo seu comandante que precisa dar um padrão, minimamente que seja, para a equipe. Ampliar seus repertórios, modificando sua maneira de jogar de acordo com os adversário, abrindo mão do pragmatismo e tendo um time condizente com o investimento. A equipe da Gávea pode conseguir conquistar coisas grandes durante a temporada, mas precisa forcar e olhar além do resultado ou dos 3 pontos, obviamente que o resultado é importante, mas quando ele vem sem a qualidade necessária só mascara o que pode acontecer de pior no futuro. Tomar sufoco para equipes inferiores ou passar dificuldades fazem parte do percurso, entretanto isso acontecer com frequência é inadmissível.  

O Flamengo entra em campo quinta-feira (09), às 21h00 (horário de Brasília) pela Copa Libertadores da América 2019. A torcida do Flamengo espera, no mínimo, uma boa apresentação contra a fraca equipe do San josé. 

2 Comentários

  1. Boa, Rodrygo. Cada vez escrevendo melhor, claro dentro de sua análise mas sempre suscinto. No entanto, discordo do conteúdo do texto, que só apresentou pontos negativos da equipe do flamengo 2019. Pelo que vejo a torcida não está tão descontente assim com as atuações do rubro negro dentro de campo. Apesar de o futebol mostrado ainda não ser o ideal, a equipe entendeu que campeonatos como libertadores não basta apenas com a parte técnica, mas também com fatores psicológicos etc. Afinal, pra vestir a preta e vermelha tem que ter raça e não apenas qualidade. Em 2019 flamengo têm se superado em alguns onde marcou no final. Quanto ao Abel, o vejo como talvez a principal e melhor contratação feita pela diretoria, uma vez que diversos outros técnicos passaram pelo clube e não conseguiram "dominar o vestiário". Seu lema de jogo até o momento é manter os dois volantes, fortalecendo o setor defensivo. Mas é claro, além de ser seu pragmatismo, não nos esqueçamos que no ano passado o fla sofreu com a defesa. Por isso, vejo isso como uma melhora. Quanto ao campeonato carioca, realmente não é pra se satisfazer, afinal os clubes pequenos do rio são nível série D, e os outros três grandes se apequenam mais a cada dia. Até por isso foi decepcionante a taça guanabara. Mas é aquela história, né? Ganhou: "Carioquinha, investiu milhões. Obrigação". Perdeu: "Piada nacional, investiu milhões. Vergonha". A lateral direita é fraca, apesar de ser do mesmo nível dos outros clubes cariocas, mas isso não representa negligência do flamengo quanto ao seu ponto fraco. Prova disso foi a consulta por Daniel Alves e Rafinha, esse segundo com acordo firmado para atuar na metade do ano. Boa contratação, levando em consideração as opções no mercado (quais?). As estrelas remanescentes no flamengo têm seu crédito, afinal de contas há anos seguidos levam a flamengo a disputar os principais campeonatos da américa, Diego inclusive fazendo gols regularmente, não o considero um fracasso e, nitidamente, tão pouco o restante da torcida pensa isso. Flamengo é soberano no rio e top 3 no Brasil, a quanto tempo isso não acontece? Aliás, quem imaginaria que o time até então mais endividado do país chegaria a esse patamar novamente? Isso é resultado da gestão bandeira, que apesar de pouquíssimos títulos, planejou e executou o projeto de salvação do clube, provavelmente terá como conseguencia títulos. E sobre a torcida, não há o que dizer além de: lota todo jogo.
    #mengão

    ResponderExcluir
  2. Bom dia. Entendo seu ponto de vista, principalmente sobre os volantes, entretanto mesmo com os dois volantes em campo o Flamengo não foi vazado em apenas 4 jogos este ano, ou seja, a ineficiência nesta tentativa de colocar dois volantes para proteger a equipe não tem sido a melhor escolha. Em relação ao vestiário, não pode ser visto como "melhor ponto" e sim como um adicional para um treinador com capacidades técnicas para conseguir construir uma equipe equilibrada, mostrando força dentro e fora de campo. A possível contratação do Rafinha apenas para o meio da temporada mostra um negligência de certa forma, até ele chegar passou algumas rodadas do Brasileiro e a fase de grupos da Libertadores. Esse é um problema que vem de muito tempo, passando por diversos treinadores que não solucionaram. O mercado brasileiro realmente não apresenta tantas opções, porém, você pode observar que as grandes equipes buscaram o mercado Sul-Americano como o Cruzeiro que trouxe Orejuela e o Vasco com Raúl Carceres, não são excepcionais, porém, é uma tentativa para mudar o patamar da posição com jogadores de mercados alternativos. Desde já agradeço o comentário, muito obrigado!!!

    ResponderExcluir