Portuguesa respira por aparelhos para se manter viva

Crédito: Reprodução/Site Oficial da Portuguesa

Por: Breno Araujo
FutebolNews


A Associação Portuguesa de Desportos foi fundada no dia 14 de agosto de 1920 por membros da comunidade portuguesa radicados na capital paulista. São noventa e nove anos de muita história, grandes jogadores, títulos importantes e de muito amor por parte da torcida lusitana e também por torcedores de outros times que tinham a portuguesa como segundo time. Porém um desastre enorme aconteceu e levou a lusa para o fundo do poço, onde está praticamente em “estado vegetativo”.

A história do clube é muito grande e que leva muito orgulho para a torcida, além de conquistas significativas, muitos jogadores foram revelados ali, marcaram história no futebol brasileiro ou jogam até hoje. Alguns nomes como João Roberto Basílio ou “Pé de anjo”, Everton Ribeiro, Pedro Geromel, Ricardo Oliveira, Zé Roberto e entre outros foram revelados pelas categorias de base da portuguesa e que se tornaram importantíssimos para o futebol nacional e mundial.

Mas o problema todo acontece no Campeonato Brasileiro de 2013, onde a Portuguesa escapava do rebaixamento nas últimas e rodadas e derrubava o Fluminense para a série B. Entretanto algo muito grave aconteceu na última rodada da competição, em um jogo contra o Grêmio, aos 32 minutos o técnico Guto Ferreira decide colocar o meio-campo Héverton no lugar de Wanderson.

O problema é que o jogador que entrou, estava suspenso e não podia sequer estar no banco de reservas. Sabendo disso, o Fluminense entrou na justiça e conseguiu tirar os pontos do time paulista, o que fez com que os cariocas ficassem na série A e a Lusa caísse para a segunda divisão, dando início à grande derrocada do clube.

Em 2014 caiu para a série C, dois anos mais tarde cairia para a série D e no ano de 2017 acabou terminando na lanterna do campeonato, e assim ficando sem disputar uma competição nacional. E para piorar, em 2015 o time ainda foi rebaixado para a série A2 do campeonato paulista, onde teve mais chance de cair para a série A3 do que conseguir o acesso novamente para a elite

Hoje a Portuguesa luta para continuar sobrevivendo, com dívidas passando dos 350 milhões de reais, ações trabalhistas e até a penhora de troféus como o da Barcelusa (time que ganhou o carinho dos amantes do futebol, após conquista da segunda divisão do campeonato brasileiro de 2011). Portanto é uma luta diária dos representantes do clube para manter o histórico time do Canindé vivo e disputando campeonatos, para quem sabe um dia voltar a ser aquilo que já foi. 





















0 Comentários